O menino dos muitos nãos

Rosângela Trajano

Era uma vez um menino que nem era peralta e nem calmo demais, um menino como qualquer outro. Gostava de brincar, estudar e assistir televisão.
A vida daquele menino parecia comum, mas não era. Só parecia. Todos diziam não ao menino. De tanto receber não ficou assustado de pedir alguma coisa e ouvir aquela palavra. Às vezes o que pedia era uma coisa bem tolinha, mas seus pais não entendiam e a resposta vinha abrupta “não”. Era incompreendido nos seus pedidos por todos de casa. A incompreensão também o machucava. Ninguém o parava para ouvir. Eram apenas os nãos quando começava a falar que ouvia sempre.
O menino dos muitos nãos cresceu assustado com aquela palavra. Descobriu que os nãos dados pelos seus pais e avós o machucaram bastante. Nem sabia como pedir algo para alguém. Nem tinha coragem de falar com as pessoas da sua idade.
Ele dizia que os nãos recebidos na infância nunca foram esquecidos, e no dia em que alguém disse-lhe um “sim” quase não acreditou no que ouviu. Recebeu um sim do seu treinador de natação, um sim que o liberava a brincar por horas na piscina. No entanto, os nãos que deram-lhe estavam marcados dentro de si, e a brincadeira na piscina nem foi tão agradável o quanto pensou, pois o medo de fazer algo errado e receber um não o atormentava a todo instante.
Diga mais sim aos seus filhos, dizia o menino aos pais que conhecia.

Exercícios para o bom pensar.

1 – Por que um não dói na gente?

2 – Por que as pessoas adultas costumam dizer não às crianças?

3 – Por que as crianças são incompreendidas pelos adultos?

4 – Quando um não dói mais na gente?

5 – Como no sentimos com os nãos que recebemos dos nossos familiares?

Desenhe como você se sente quando recebe um não de alguém querido.

Quinto ano