O menino que se sentia sozinho

Rosângela Trajano

Era uma vez um menino miudinho, narigudo, cabeção e muito meigo para com as pessoas ao seu redor.

Mas, aquele menino narigudo se sentia sozinho mesmo estando rodeado por pessoas. Ele não sabia dizer o motivo, porém sentia solidão em todos os lugares que ia.

Tinha um cachorro bonito e que latia forte, ainda assim sentia-se sozinho.

Era preciso fazer alguma coisa para curar a solidão daquele menino quieto e que não costumava falar muito diante dos outros.

Os pais pensaram em levá-lo ao psicólogo para descobrir o motivo da sua solidão.

O psicólogo é o profissional que nos ajuda com as nossas emoções e sentimentos, cuida da nossa alma.

Mas nem indo ao psicólogo o menino teve jeito. Então, o pai ficou preocupado

– O que fazemos agora com o nosso filho?

– Não sei! Estou preocupada, também!

O menino narigudo encontrou, sozinho, um jeito para acabar com a solidão: começou a fazer poesias. E de tanto poetizar começou a se sentir alegre e cheio de vida.

Fazer algo que gostava encheu os vazios da alma do menino e ele nunca mais se sentiu sozinho. Onde chegava mostrava o seu caderninho cheio de poesias, e as pessoas liam e se encantavam com os seus escritos.

O menino narigudo encontrou uma forma de afastar a solidão de si fazendo o que amava. Começou a escrever poesias pequenas e grandes, em inglês e espanhol. Descobriu que na sua poesia moravam os versos que podiam ser os seus amigos.

O mais importante que o menino narigudo fez foi falar de si na sua poesia, ou seja, colocar tudo o que sentia naquilo que escrevia. O que fez com que a solidão fosse desaparecendo aos poucos e se sentisse completo, uma completude alegre e cheia de beleza.

É preciso descobrir algo que gostamos de fazer e assim não nos sentiremos mais sozinhos mesmo rodeado de pessoas. Agora, o menino narigudo tem muita gente perto de si e não fica mais no canto da parede, tímido, à procura de um outro, pois encontrou a si mesmo dentro da poesia e pôde reinventar-se um milhão de vezes.

– E quem não sabe fazer poesia como faz para não se sentir sozinho?, perguntou a amiguinha.

– Faz outra coisa que gosta! Pode ser desenhos, cartas, diários… tem sempre algo que a gente gosta de fazer.

– Eu não gosto de fazer nada!, disse a amiguinha.

– Se você realmente se sente sozinha vai descobrir algo que gosta de fazer. As pessoas sozinhas são criativas e habilidosas nas artes em geral.

– E quando vou descobrir isso?

– Quando a solidão bater bem forte em você pense no que pode fazer para afastá-la. O seu pensamento vai mostrar uma solução.

– Depois da poesia até o seu nariz diminuiu!

– O meu nariz não se sente mais sozinho!

O menino que não era mais narigudo fez uma poesia para a sua amiguinha que ficou bastante agradecida e determinada a pensar em algo para acabar com a sua solidão igual fez o menino.

 

Exercícios para reflexão.

1 – O que é solidão?

2 – Como é se sentir sozinho?

3 – Por que a solidão dói?

4 – Por que nos sentimos sozinhos mesmo rodeado de pessoas?

5 – Como curar a solidão?

Desenhe você curando a sua solidão.

Inteligência emocional - Material didático para crianças