A negra Totonha

Rosângela Trajano

 

Tinham inveja porque era negra

Dormia no quarto mais belo

Sentava-se na primeira fila

Tomava leite com xícara de ouro

 

Totonha era esperta e brava

Criava um passarinho

À janela do quartinho

Tinham inveja porque era negra

 

A negra Totonha

Teve infância difícil

Mas estudou e venceu

Tornou-se cientista

Nunca esqueceu

Do avô que foi escravo

E a ele ofereceu

O seu diploma acadêmico

 

Ainda ontem curou pessoas

Salvou vidas de muitas cores

Essa negra Totonha maravilhosa

Que a chamam de Mimosa

Consciência Negra