Criança quer mais é brincar

Rosângela Trajano *

Às crianças do meu querido Brasil.

Aos meninos da minha rua.

Ontem eu vi William empinando um papagaio feito de papel jornal e linha de costura. Assim como o meu pequenino William são todas as crianças do mundo inteiro. Elas só querem brincar. Eu tenho a autoridade para dizer isso, porque já fui criança e tive tantos deveres na minha pequena vida infantil que se pudesse voltar no tempo levaria a minha infância brincando. Ontem eu vi Alice abraçar a sua boneca de pano. Seria tão bom se as pessoas grandes pudessem voltar a ser crianças. Eu tenho certeza que elas compreenderiam porque as crianças necessitam tanto de brincar. Brincar representa liberdade.

Meninos e meninas de todo o mundo eu os convido para brincarem de qualquer coisa. Não sejam como os adultos que levam tudo a sério. Deixem as coisas sérias para mais tarde. Vamos brincar de jogar bola, correr atrás de um vaga-lume, tomar banho de rio, surfar, cabra-cega, tô no poço, skate, cavalinho de pau…vamos brincar com as letras, com os livros, com os nossos professores e familiares. Vamos fazer da vida uma eterna brincadeira.

William é um menino feliz. Ele já tem dez anos de idade. William só pára de brincar quando vai à escola. E mesmo na escola ele brinca. Por isso, tantas vezes a sua mãe já foi chamada pela diretora. William é um menino livre. Ele adora brincar. Faz aquilo que tem vontade. Sabe tudo sobre as brincadeiras. Adora jogar bola e pegar passarinho. Os passarinhos de William não ficam presos muito tempo, porque a sua maior alegria é vê-los sair da gaiola e voar com destino ao céu. Eu não entendo muito o que William faz com os pássaros, mas eu acho que não devo procurar entender eu devo procurar ver com o coração. Quando a gente fica grande esquece que o coração enxerga tudo.

Alice adora limpar o nariz. Senta-se, sozinha, na calçada com as suas bonecas de pano. Fica lá, quietinha, brincando com uma e outra. Construindo seu mundo do faz-de-conta. Alice tem um sonho: ser bailarina. Não conhece os pais. Mora com a avó numa casa pequenina. Come mingau e dorme abraçada com uma blusa velha da avó. Alice é uma menina com dez anos de idade. Gosta muito de brincar.

Se você for uma criança pense na possibilidade de pedir mais tempo aos seus pais para brincar. A vida é uma eterna brincadeira e só vence quem souber nela brincar melhor. Se você é um adulto eu lhe peço para permitir às crianças brincarem. Brincar faz bem ao corpo e a alma. Brincar é sinal de saúde e felicidade. A criança que brinca é feliz. Pra que formar doutores sérios e carrancudos? Podemos formar doutores sorridentes e felizes. O brincar ajuda o homem a crescer e a especular a vida.


* Rosângela Trajano é licenciada e bacharel em filosofia e mestra em literatura comparada.

Uncategorised