Anaximandro – Filosofia da natureza

Anaximandro em calor ou frio

(Baseado na história do filósofo Anaximandro)

Rosângela Trajano

Anaximandro nasceu em Mileto e era amigo de Tales. Os dois meninos eram bastante curiosos.

Eles brigaram porque Anaximandro não acreditava que Tales estivesse certo de onde vinham as coisas. Mas foi briga de menino e logo se entenderam novamente e voltaram a brincar de contar estrelas.

Para Tales era a arché o princípio das coisas, ou seja, a água. Mas para Anaximandro as coisas tinham origem no infinito onde finda o finito e tudo começa com o resultado dos seus contrários, ou seja, frio e calor, seco e úmido, cheio e vazio. O que Anaximandro falava era no ápeiron que significa infinito ou ilimitado.

Anaximandro era um menino bem inteligente e estudou na escola jônica de Tales, em Mileto. Gostava de estudar astronomia, matemática e geografia. Foi o primeiro geógrafo a desenhar um mapa celeste e um terrestre.

Vivia brincando com Tales pela floresta da sua cidade e corriam atrás dos animais. Eles amavam a natureza, por isso são conhecidos como filósofos da natureza. Para eles, o princípio das coisas tinha fundamento na natureza, ela era a responsável pela origem de tudo.

Não foi fácil para Anaximandro descobrir a origem das coisas e quando conseguiu correu para contar a Tales. Do frio veio o ar. Mas antes do frio tinha a água. E com a água se formaram a terra e o mar. Depois se formaram os primeiros seres vivos.

Anaximandro dizia que para chegar ao infinito devíamos principiar do finito. Nós, por exemplo, somos infinitos por dentro e nunca saberemos tudo o que há dentro dos nossos sentimentos, estaremos sempre a nos descobrir. Conhecer-nos é importante, pois se somos infinitos segundo Anaximandro temos algo finito que pode nos levar a outros mundos possíveis.

Anaximandro desenvolveu ideias astronômicas, como Tales ele gostava de olhar para o céu e observar as estrelas. Ele conseguiu medir a distância entre as estrelas e disse que a terra era cilíndrica e estava no centro do universo.

O ápeiron de Anaximandro dizia que o mundo surgiu de uma substância indefinida, de algo infinito.

Se você olhar ao seu redor vai ver que muitas coisas são infinitas e que podem gerar outras. Os números são infinitos, o ar é infinito, o céu é infinito e do céu vem muitos elementos que ainda não conhecemos.

Olhe para dentro de você e procure a sua finitude. Dificilmente encontrará. Cada vez mais vai abrir portas de sentimentos, emoções, valores e virtudes que levam a outros caminhos. Era isso que Anaximandro queria dizer, ou seja, a origem das coisas está numa substância infinita que se encontra nos contrários no movimento dos elementos.

 

Exercícios para o bom pensar.

1 – O que é o infinito?

2 – De onde vem o infinito?

3 – Por que algumas coisas são infinitas?

4 – Qual a diferença da arché para o ápeiron?

5 – Como os contrários podem criar outras coisas?

6 – Por que não somos finitos?

7 – Onde está a nossa infinitude?

8 – Há finitiude no Universo? Se não, explique.

9 – Vivemos num mundo finito ou infinito? Por quê?

10 – Você já se sentiu infinito?

Disserte sobre o infinito das coisas.