Rosângela Trajano

Eu não sei por que não sei

– Eu não sei – disse o menino.

Um dia, o menino saiu por aí, atrás dos pássaros.

O menino chegou num belo castelo.

– Com quem deseja falar? – perguntou o guarda.

– Eu não sei.

O guarda levou o menino até o rei.

– Filho, de onde você vem?

– Eu não sei.

O rei mandou levar o menino para brincar com as outras crianças.

Após alguns dias, todos os meninos do reino só falavam “ eu não sei”.

– Eu não sei – menina.

– Eu não sei – menino.

– Eu não sei – meninas e meninos.

O rei, preocupado, mandou buscar o menino. Fez-lhe um monte de perguntas.

– Eu não sei.

– Por que você não sabe?

– Eu não sei por que não sei!

– Pare! Pare! Você está me deixando confuso! Vá brincar! – disse o rei.

Certo dia, o rei teve uma reunião com seus ministros e sem querer começou a responder às perguntas igual ao menino.

– Eu não sei, eu não sei, eu não sei… – dizia o rei, repetidamente.

O rei pensou que o menino tinha uma doença contagiosa.

– Levem esse garoto para bem longe daqui! – ordenou o rei.

Os guardas deixaram o menino no meio da floresta.

A onça perguntou ao menino se ele estava com medo.

– Eu não sei.

O elefante perguntou ao menino se ele estava sozinho.

– Eu não sei.

A gaivota perguntou ao menino o que ele sentia.

– Eu não sei.

– Isso é um absurdo! – disse a tartaruga – Como pode alguém não saber de nada?!

– O que é o absurdo? – perguntou o jacaré ao menino.

– Eu não sei – respondeu o menino.

E os bichos de tanto ouvir “eu não sei” começaram a repetir as palavras do menino do jeito de cada um:

rosnando;

gruindo;

mugindo; e

cantando.

O menino foi caminhando sem saber para onde.

De repente, viu uma casa pintada de amarelo, com portas marrons.

Estava com sede. Bateu à porta. Uma mulher simpática abriu a porta e abraçou o menino toda feliz!

– Filho, por onde você andou?! – perguntou a mãe.

– Eu não sei.

– Venha! Vamos tomar um banho, jantar e dormir?

– Eu não sei.

O menino vestiu o pijama, e foi para sua cama.

– Não vai fechar os olhinhos pra dormir?

– Eu não sei.

– Tá bom, então quando você souber você dorme. Boa noite!

– Eu não sei quando vou saber, mãe.

A mãe apagou a luz e deixou o menino sozinho na sua cama.

Um vaga-lume azul e outro amarelo conversavam à janela do quarto do menino.

Quase dormindo o menino ouviu quando um perguntou para o outro:

– Você sabe quantas estrelas tem no céu?

– Ninguém sabe! Ninguém sabe! Ninguém sabe!

– Eu sei! – Dormiu o menino.

Uncategorised