Ética do cuidado: tu cuidas de mim, eu cuido de ti

Rosângela Trajano

 

Antes de começarmos a falar sobre a ética do cuidado, primeiro vamos observar alguns conceitos importantes de forma bem simples e com uma linguagem acessível a todos para que não fiquem dúvidas. A princípio quero dizer que amo todos vocês e as coisas ao meu redor, tudo me provoca e desperta em mim emoções e sentimentos verdadeiros que podem ou não ser bons. Acho que todo mundo é assim, não é mesmo?

Temos aqui dois conceitos que são bastante confundidos nos estudos filosóficos devido serem bem parecidos um com o outro: ética e moral. Muitas vezes usados como sinônimos, esses dois termos têm diferenças, sim. Enquanto a ética busca conceituar o caráter e a personalidade do homem, a moral é baseada em costumes e valores de uma determinada sociedade. O que significa que a ética pode ser vista como universal, ou seja, presente em todos os locais porque em todo canto há homens no sentido de humanos já a moral é algo particular, ou seja, pertence a cada sociedade.

Sendo assim, a ética é aquilo que te define enquanto homem. É o teu jeito de ser, a tua forma de pensar e agir que pode ou não ser modificada pela moral. Por que pode ser modificada pela moral? Porque a formação do nosso espírito muitas vezes parte de princípios culturais e históricos que regem uma sociedade. Então, podemos ter um caráter cheio dos princípios dessa sociedade na qual pertencemos.

É possível que um cidadão mude o seu caráter? Sim, é possível. Claro que não será de uma hora para outra porque desde a infância ele aprendeu a agir, falar e pensar de uma forma muito particular, mas isso não o impede de mudar ao longo dos anos. O homem é um ser passível de mudanças. Assim como a sua moral também pode mudar a partir do momento que passe a estabelecer contato com outros povos e culturas. Todo caráter e espírito pode sofrer transformações e/ou mudanças com o passar dos anos.

As pessoas costumam dizer “você não é ético” para qualificar pessoas boas como más, certas como erradas, mas isso não se trata de ética e sim de julgamentos, ou seja, juízo de valores que as pessoas podem ao longo dos séculos tomarem como certas ou erradas. Podemos como, por exemplo, dizer que antigamente os homens da caverna eram canibais, ou seja, comiam humanos. Naquela época, isso era certo, hoje somente alguns povos fazem essa prática.

Também não devemos chamar ninguém de selvagem porque baseados no que vimos acima sobre a moral cada povo tem a sua cultura e as suas tradições, logo devemos respeitar as pessoas e não agredi-las ou julgá-las. O juízo de valores pode tornar a convivência com outras pessoas desagradáveis e até causar relações de desafetos.

Já que expliquei o conceito de ética e moral vou passar agora para a questão do cuidado. No dicionário, cuidado demonstra atenção, preocupação, prudência. Então, quando aprendemos a nos amar e a amar o outro tendemos a nos preocupar com o que eles fazem, o que acontece com eles, como são as pessoas que estão aos seus redores, enfim nos enchemos de cuidados.

Todo cuidado é necessário para vivermos bem ao lado das mais diversas pessoas. Precisamos aprender a cuidar do nosso corpo praticando exercícios físicos diariamente, dormindo bem, lendo e relaxando. Nunca devemos deixar que os problemas tomem conta de nós, pois tudo é possível de solução. Antes de cuidarmos do outro é necessário que aprendamos a cuidar de nós. E como isso ocorre? Revendo os nossos pensamentos, sonhos, expectativas, sentimentos e emoções das coisas que estão ao nosso lado. Todos os dias precisamos de cuidados não somente corporais, mas de espírito.

Depois que aprendemos a cuidar de nós, o que não é nada fácil poderemos aprender a cuidar do outro. Para isso, não devemos sair por aí dizendo que o outro está errado, que é feio, que não se cuida. Nada disso, é possível até mesmo cuidar do outro à distância com um telefonema ou uma mensagem eletrônica que transmita uma preocupação com quem não podemos estar próximos. E como diz o ditado “quem ama cuida”. E se você se ama e já amou alguém, de certa forma, sabe muito bem a importância do cuidado.

A ética do cuidado vem como um auxílio, ou seja, uma forma de pensar em si e no outro baseada na formação de um espírito livre de juízo de valores e que esteja aberto a amar e ser amado. Dessa maneira, a ética do cuidado vem mostrar aos seus estudiosos que um caráter pode ser modificado para melhor a partir de um cuidado, de uma preocupação consigo e com o outro construindo sempre pensamentos que sejam colocados em questionamentos ao longo dos anos e nunca termos a crença de que somos os melhores em tudo, o narcisismo é prejudicial. Não é que não devamos nos achar bons em quase tudo o que fazemos, mas é uma questão de humildade sabermos respeitar as nossas habilidades e as alheias. Não existem gênios em cada esquina.

Quando deixamos de nos preocupar com os problemas da nossa comunidade e passamos a viver trancados nos nossos mundinhos nos tornamos egoístas e deixamos de cuidar do outro. Isso não é bom para ninguém, nem mesmo para nós. Enquanto seres que dependem uns dos outros, ninguém consegue viver isolado, precisamos do agricultor para colocar comida na nossa mesa, precisamos do médico para curar as nossas doenças, precisamos do cabelereiro para cuidar dos nossos cabelos assim também precisamos de nós para enfrentarmos as dificuldades que o mundo nos impõe todos os dias, por isso é importante que tenhamos as nossas relações de afeto sempre fortes isso nos impedirá de fraquejarmos.  Quando se tem uma mão para segurar a travessia da ponte fica mais fácil.

A ética do cuidado vem mostrar para você que uma vida menos doída e com mais amor é possível apesar de vivermos num mundo onde as relações de afeto estão cada vez mais vulneráveis. Dê esse presente para você. Aprenda a se amar mais e a amar o outro. A descoberto do amor incondicional é uma porta de entrada para a paz, segurança e conforto de um bem viver.

Ética do cuidado