Menino das estrelas

Rosângela Trajano

1

Era uma vez um menino

Que gostava de puxar

As estrelas preguiçosas

E o céu fantasiar

2

Não tinha onde viver

Morava ali nas calçadas

Pelas ruas caminhava

Comendo sempre cocadas

3

Achou uma mala preta

Cheia de brinquedos belos

Tentou guardar as estrelas

E os pincéis amarelos

4

Trazia cinco barbantes

Guardados no seu calção

Bem lá no fundo do bolso

Junto com um avião

5

Nas noites bem estreladas

O menininho sozinho

Descia pela ladeira

À procura de carinho

6

Das estrelinhas amigas

Para com ele brincar

De correr naquele céu

Cadente pra viajar

7

E quando não as achava

Ele chorava um bocado

Ficando feio e tristonho

Assim mandava um recado

8

Para o paizinho do céu

Rezando muito apressado

Repetindo sempre a prece

Meio fraco e desolado

9

Um gatinho colorido

Para sua companhia

Ele ganhou, que miava

Assim como quem dizia:

10

Vou lhe trazer alegria

Uma estrela pintarei

E no sol do meio-dia

Com você me sentarei

11

O menino pensou bem

De como a vida é dureza

Muita gente nas calçadas

Com fome, sede, frieza

12

Povo sofredor demais

Sem moradia certinha

O menino ficou triste

Desencantada a carinha

13

Do barbantezinho mágico

O feitiço se acabou

Não teve mais alegria

Estrelas não mais puxou

14

Com a barriga roncando

Naquele dia chuvoso

Era melhor se esconder

Do homem astucioso

15

Ele leu num jornal velho

As notícias de uma guerra

De dois homens que brigavam

Por um pedaço de terra

16

Era o mundo pelo avesso

Ou de pernas para o ar

O menino sem saber

De nada foi passear

17

Queria ver as estrelas

Tomarem banho de mar

Vestidinhas com pijamas

Esquecer o seu pensar

18

No seu caminho encontrou

Um tatu meio doente

Tinha engolido um canudo

Que ali pôs um inconsequente

19

Pensou: Como o mundo é mau

Já o tatuzinho pegando

De um jeitinho especial

O seu casquinho alisando

20

Abraçando o animal

Para um biólogo o levou

– Salve o bichinho! Pediu

– Alguém muito o maltratou

21

Saiu dali caminhando

Devagar, queria ver

As estrelas. À noitinha

Elas iam aparecer

22

Precisava descansar

Na areia fria sentou-se

O mar, que estava calmo

Agiu em si. Acalmou-se

23

Aquele dia difícil

Já estava terminando

Porém, onde dormiria?

A si viu-se perguntando

24

E o seu fofo gatinho

Onde poria Mimi?

De repente escureceu

Mudou tudo por ali

25

Choveu estrelas do Céu

Naquela noite feliz

E nosso menino teve

Tudo que ele sempre quis

26

Uma casa com janelas

Feita de alvenaria

Numa caminha arrumada

O menino dormiria

27

Tendo seus pés aquecidos

Por um cobertor quentinho

No jantar pão com café

Não doeria o dentinho

28

O menininho contente

Seus bracinhos levantou

Com o barbante, dois lacinhos

Fez, e uma estrela puxou

29

E foi puxando, puxando

Do céu com felicidade

Porém ela era cadente

Ia cidade a cidade

30

Onde a meninada brinca

Não há raiva ou sofrimento

É ali que vai o menino

E seu gatinho pulguento

31

Sabe-se: Toda criança

Deverá viver em mundos

Com sonhos. E ter direito

A dormir sonos profundos

32

Assim, o nosso menino

Na cauda da estrelinha

Viajou e esqueceu

De levar a flanelinha

É que agora ele iria

Trabalhar de mentirinha

*****

Rosângela Trajano, primavera

1º de novembro de 2019.

Exercícios para o bom pensar.

1 – Por que há meninos morando nas ruas?

2 – Como você acha que é a vida de um menino de rua?

3 – Onde dói mais o frio num menino de rua: no corpo ou nos seus sentimentos? Por quê?

4 – O que podemos fazer para ajudar os meninos de rua?

5 – O que você acha que os meninos de rua aprendem sozinhos?

6 – Onde você acha que a vida dói mais nos meninos de ruas para você?

7 – Que sentimentos você acha que tem um menino de rua? Por quê?

8 – Por que, apesar da vida difícil, alguns meninos de rua gostam de brincar e sorrir?

9 – Quais sonhos você acha que um menino de rua tem para o seu futuro? Por quê?

10 – Do que os meninos de rua mais têm medo? Por quê?

Desenhe um menino de rua.

Cordéis