O menino Sócrates

Rosângela Trajano

Era uma vez um menino chamado Sócrates que nasceu e morou na Grécia na antiguidade. Ele se tornou um filósofo, ou seja, aquele que é amigo do saber. Sócrates gostava de ensinar aos outros meninos sobre os deuses, a vida, o mundo e as coisas ao nosso redor. Uma vez ele ensinou a um menino de onde vinham os nomes das coisas, quem nomeava as coisas e isso é muito interessante de se estudar. Quem e como as coisas recebem nomes?
Era amante das perguntas e costumava dizer uma frase que até hoje a usamos “Só sei que nada sei”. Ele dizia isso para não ser melhor do que os outros, para dizer que sabia o mesmo que os seus alunos. Ele era humilde diante dos seus conhecimentos.
Quando alguém fazia uma pergunta ao menino Sócrates ele respondia com outra pergunta e esse seu jeito de ensinar ficou conhecido como “maiêutica” que quer dizer parir respostas, ou seja, deixar as respostas nascerem para fora da gente.
Um dia, o menino Sócrates foi acusado pelos homens das leis de estar ensinando coisas erradas aos outros meninos e foi levado à prisão. No seu julgamento teve a chance de desmentir tudo o que disseram sobre ele, mas não o fez. Então, foi condenado à morte.
O menino Sócrates morreu envenenado com Cicuta, um veneno muito utilizado naquela época nas prisões. Não deixou nada escrito, tudo o que sabemos sobre ele foi escrito pelo seu amigo Platão, outro filósofo que vamos estudar mais tarde.
Quando alguém diz a frase “Só sei que nada sei” não é que não saiba de nada, mas está demonstrando que precisa aprender um pouco mais, que sempre é importante aprender, que nunca devemos esquecer de perguntar, pois é nas perguntas que aprendemos a conhecer as coisas e as pessoas.

Exercícios para o bom pensar.

1 – O que é o saber?

2 – Como desenvolvemos o saber?

3 – Por que é importante amar o saber?

4 – O que significa a frase “Só sei que nada sei”?

5 – Por que é importante fazer perguntas?

6 – O que podemos fazer com o nosso saber para melhorar o mundo?

Desenhe uma pessoa utilizando o seu saber.

Sétimo ano